segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Vovó?

Ontem fui chamada de “vovó” pela primeira vez.

Foi o Joaquim, garotinho de aproximadamente um ano que encontrei nos corredores do supermercado. Estava sentado no carrinho de compras de sua mãe. Quando passou por mim, no meio das prateleiras, ficou me olhando pronto para um sorriso, então só fiz um sinal e ele me apontou um dedo e soltou um sonoro:

- Vovó!

Foi tão de supetão, que no primeiro instante não reagi.
A mãe do garoto ficou tão sem jeito que nem olhou para trás, continuou andando devagar. Depois de alguns segundos respondi: Ah, não sou sua vovó, mas gostaria de ser uma vovó.

Só aí a mãe do Joaquim me olhou e depois conversamos um pouquinho na fila para pagar as compras.

Crianças são mesmo muito espontâneas.

Quando saí do mercado, os pensamentos voaram. Nossa! Será que já estou com cara de avó? Ou só me pareço com a avó do Joaquim? Se espero ser avó, qual foi a surpresa? Vou dar uma olhada no que o espelho me diz. Devem ser os pensamentos de toda mulher que já passou por minha idade. Coisas da vida. 

E, como não podia deixar de ser, me imaginei bem velhinha, como as vovozinhas queridas, contando histórias rodeada de netinhos. 

Um comentário: